Legenda da imagem

Hermenêutica Bíblica

­­

­

Imagem Ilustrativa

Inúmeras heresias são construídas a partir de versículos bíblicos isolados, que não passam por uma avaliação crítica e comparativa com o restante dos textos bíblicos ou do contexto em que estão inseridos. Para que não venhamos a desvirtuar a própria vontade de Deus, devemos fazer algumas perguntas básicas diante de uma afirmação qualquer em relação às Escrituras Sagradas:

1 – Esta afirmação está baseada: 

      a)  em um versículo apenas? 

      b)  somente em versículos do Velho ou do Testamento? 

2 – Esta afirmação considera a harmonia do texto com o seu contexto?

3 – Esta afirmação está em sintonia com os princípios bíblicos? 

4 – Esta afirmação pode ser contraditada por algum outro versículo bíblico? Se sim, qual deles encontra harmonia com os princípios bíblicos? O que parece contraditório, pode ser harmonizado com os princípios bíblicos?

Embora não estejam aqui todas as questões que envolvem a hermêutica bíblica, estes são alguns exemplos da crítica que podemos tecer para não sermos enganados. É bom lembrar que, para a nossa segurança, nenhum versículo ou texto bíblico deve ser considerado fora de seu contexto. Também, é necessário que todos os exames sejam comparados com os princípios bíblicos constantes das Escrituras Sagradas, em especial aqueles afirmados por Jesus. 

Devemos nos lembrar que qualquer afirmação feita com base em versículos isolados é muito perigosa. Se só existe um versículo sustentando uma afirmação, tome muito cuidado para não cair em uma cilada, especialmente quando a conclusão que se tira desse versículo destoa dos princípios bíblicos.Por exemplo: 

“O ladrão vem somente para roubar, matar e destruir; eu vim para que tenham vida e a tenham em abundância.” (João 10:10 RA) 

Conclusão: Jesus deseja que o homem seja rico e abastado materialmente

“Não acumuleis para vós outros tesouros sobre a terra, onde a traça e a ferrugem corroem e onde ladrões escavam e roubam;” (Mateus 6:19 RA)

“É mais fácil passar um camelo pelo fundo de uma agulha do que entrar um rico no reino de Deus.” (Marcos 10:25 RA) 

“Ora, os que querem ficar ricos caem em tentação, e cilada, e em muitas concupiscências insensatas e perniciosas, as quais afogam os homens na ruína e perdição.” (1 Timóteo 6:9 RA) 

Conclusão: Jesus e o apóstolo Paulo não estimulam acúmulo de riquezas. 

Como se vê, há uma aparente contradição entre as afirmações feitas. 

Ora, uma vez que foi o mesmo Espírito Santo que inspirou todos os textos bíblicos, certamente só há uma conclusão possível. Neste caso, a contradição é apenas aparente. Se colocarmos todos os textos em seus devidos contextos e observarmos qual o princípio bíblico a nortear a vida espiritual e a material, seremos capazes de harmonizar o conteúdo todos esses versículos sem grandes dificuldades. 

 Por que o exercício da interpretação é importante? 

Uma palavra constante da Bíblia, se estiver sendo compreendida no exato sentido que Deus quis dar a ela será seguramente “a palavra de Deus”, mas se tomada em qualquer outro sentido será uma arma do Diabo para confundir, enganar e, por fim, matar. De igual modo, um versículo bíblico considerado exatamente no sentido que Deus quis dar a ele será “a palavra de Deus”, mas, se interpretado no sentido que eu quero dar a ele, em razão das minhas conveniências, passa a ser um instrumento do Diabo para que eu me engane a mim mesmo e me perca enquanto penso que estou no caminho da salvação. 

Devemos ter em mente que um versículo compreendido no sentido que Deus disse, é uma arma defesa contra o império das trevas, mas se tomado em sentido diverso será um instrumento de Satanás para tentar o homem e conduzi-lo à destruição. Observem como o Diabo utilizou as Escrituras Sagradas para tentar Jesus e colocar fim em seu ministério e, consequentemente, no projeto de Deus para a salvação da humanidade. 

Portanto, devemos nos lembrar sempre disto: um versículo bíblico pode ser um instrumento de Satanás para levar o homem à morte enquanto ele pensa que está agradando ou fazendo a vontade de Deus. Muito cuidado! 

A interpretação bíblica e nossas experiências pessoais 

Todos nós, a partir do momento em que entregamos nossas vidas ao Senhorio de Cristo, passamos a ter diversas experiências pessoais. Estas, são evidências daquilo que Deus tem operado em nós, por isso não devem ser desprezadas. 

 Entretanto, é possível que em alguma medida estejamos sendo induzidos a experiências que não se amoldem à palavra de Deus. Neste caso, devemos analisar com sinceridade tanto nossas experiências como o modo como elas se encaixam nas Escrituras Sagradas. Havendo qualquer conflito, devemos priorizar a palavra de Deus e não nossas experiências pessoais, por mais reais e palpáveis que sejam. 

Recentemente, ouvi um testemunho de uma mulher que teve uma grande experiência: Deus falou com ela, em alto e bom som, dizendo-lhe que não precisava nem de igreja formal e nem de pastor. Desde então, por orientação divina, criou um blog para incentivar outras pessoas a seguirem esse mesmo caminho, o dos desigrejados, sempre apresentando versículos bíblicos que confirmam sua experiência. 

Importante ressaltar que as mais impressionantes experiências pessoais não podem se sobrepor à Bíblia em seu conteúdo, princípios e propósitos. Por isso ela não está sujeita a julgamento por parte da experiência pessoal. Antes, a experiência pessoal deve se submeter ao juízo das Escrituras Sagradas. 

Quando estudamos a Palavra de Deus tendo em mente sua superioridade sobre qualquer outra evidência, observamos que o escritor nunca diz: "Porque tal coisa aconteceu, isto tem de ser verdade". Em vez disso, afirma justamente o oposto: "Porque isto é verdade, uma coisa particular aconteceu". 

Todos sabemos que nos tempos modernos multiplicam-se seitas com suas heresias das mais diversas e algumas até mesmo exóticas. Isso acontece sempre com aparentes fundamentos bíblicos. Ora, a grande quantidade de incoerências surgidas atualmente com nome de “evangélicos” deve-se ao grande valor que se dá às experiências pessoais e às operações sobrenaturais, enquanto que o ensino sistemático das Escrituras Sagradas perde, cada vez mais, seu espaço e importância. O fato é que nas seitas cristãs a Bíblia é apenas um instrumento para se confirmar as experiências pessoais e sobrenaturais dos criadores e frequentadores dessas seitas. Normalmente, suas doutrinas não passam por um exame hermenêutico sério. 

Um espírito crítico e sensato é, portanto, necessário. Devemos colocar as Escrituras Sagradas no seu devido lugar: primeiro as Escrituras. Ainda que tenhamos vivido uma experiência peculiar, devemos mantê-la no seu próprio lugar. Não devemos menosprezá-la e nem supervaloriza-la. O certo é que nunca devemos julgar ou interpretar a Bíblia por nossas experiências particulares. Também, não devemos criar doutrinas e regras a partir delas. Como todas as coisas relacionadas com o homem, a experiência pessoal pode ser questionada, mas as Escrituras Sagradas, divinamente inspiradas, jamais! 

Portanto, todo cuidado é pouco! Sejamos cuidadosos para não permitirmos que nossas experiências pessoais conduzam nossa interpretação bíblica, quando a interpretação da Escritura é que deve moldar a nossa conduta e as nossas experiências. 

EXERCÍCIO 

Nosso propósito com este exercício é lançar algumas aparentes contradições para serem desfeitas pelo leitor.1) as escravas (mulheres) deveriam ser libertadas no ano do jubileu, assim como se faziam com os escravos (homens)?Textos: Êxodo 21:7 – Deuteronômio 15:12, 172) os escravos deviam ser libertados após sete anos de trabalho ou apenas no ano do jubileu, a cada 50 anos? Textos: Levítico 25:40 - Êxodo 21:2 – Deuteronômio 15:123) Deus criou o homem e a mulher no mesmo momento ou em momentos distintos?Textos: Gênesis 1:26, 27 – Gênesis 2:7, 224) Quantos casais de animais de cada espécie deveriam ser colocados na Arca de Noé?Textos:Gênesis 6:19-20 – Gênesis 7:2,35) Quanto tempo durou o dilúvio sobre a terra?Textos: Gênesis 7:4-12 – Gênesis 7:24; 8:1-14

Em 24 de agosto de 2016. 

Pastor Sólon Pereira 

F­­AÇA PARTE DESTE PROJETO!

Se você se identifica conosco e gostaria de fazer parte deste projeto, contate-nos: 

 celeiros.df@gmail.com

ou pelo facebook nos seguintes endereços: 

 https://www.facebook.com/groups/celeiros/     -    https://www.facebook.com/groups/celeiros/.