Igreja cristã Celeiros
Voltar para a lista

Ateus são menos tolerantes que pessoas religiosas, diz estudo 

Pesquisa aponta que ateus e agnósticos são menos tolerantes a diferentes opiniões do que pessoas de fé.

Pessoas religiosas são mais tolerantes diante de diferentes pontos de vista do que ateus, de acordo com um estudo feito no Reino Unido, França e Espanha.

Uma análise feita com 788 pessoas concluiu que ateus e agnósticos têm a mente mais aberta em relação a suas próprias vidas do que pessoas religiosas, mas são menos tolerantes a diferentes opiniões.

Pessoas religiosas “parecem perceber melhor e integrar perspectivas divergentes”, de acordo com pesquisadores de psicologia da Universidade Católica de Louvain.

“Surpreendentemente, quando se tratava da tendência em integrar pontos de vista que eram divergentes e contrários às próprias perspectivas, foi o religioso que mostrou maior abertura”, disse o pesquisador Filip Uzarevic.

O estudo foi realizado com 445 ateus e agnósticos, além de 255 cristãos e um grupo de 37 budistas, muçulmanos e judeus.


“A ideia do estudo começou após notarmos que no discurso público, apesar de religiosos e seculares mostrarem forte aversão pelo lado ideológico oposto, de alguma forma, os conservadores foram rotulados por terem uma ‘mente fechada’”, analisa Uzarevic.

Os resultados da pesquisa refletem uma realidade vivida com intensidade em países como os Estados Unidos. Muitos cristãos estão sendo impedidos por organizações ateístas de expressarem sua fé nas empresas ou outros locais públicos, colocando em risco a ameaça à liberdade religiosa.

Em março, um comandante da Base da Guarda Nacional da Aeronáutica dos EUA recebeu uma queixa da Fundação Freedom From Religion (Liberdade de Religião, em tradução livre) por permitir que capelães realizem orações e leituras bíblicas durante eventos militares.

Outra ação que demonstra o nível de intolerância dos ateus aconteceu no estado norte-americano de Arkansas, em março, quando a Sociedade dos Pensadores Livres do Arkansas se opôs aos esforços para tornar a Bíblia o livro oficial do estado.

Em 4 de julho de 2017

Fonte: guiame