Igreja cristã Celeiros

Cristão é condenado por fazer culto doméstico, na Argélia

Sentença proferida por juiz local foi de dois meses de prisão e pagamento de multa.

Em 16 de junho, um juiz entregou a um cristão, pai de dois filhos que vive no noroeste da Argélia, uma sentença de prisão e uma multa pesada por realizar um culto de oração em sua casa.

Os promotores pediram uma sentença de seis meses de prisão e uma multa de 500 mil dinares argelinos (US$ 4,2 mil) para o homem de 35 anos em Mostaganem, uma cidade costeira a cerca de 350 quilômetros a oeste da capital Argel.

Em vez disso, o juiz proferiu a sentença de dois meses de prisão e uma multa de 100.000 dinares (US$ 840) para o novo cristão, que pediu anonimato porque teme por sua vida no país oficialmente muçulmano do norte da África.

A condenação aconteceu porque o homem convidou um casal cristão para orar com ele. Segundo uma testemunha, ele foi acusado de organizar o culto cristão em sua casa apesar da notória lei religiosa da Argélia de junho de 2006, comumente conhecida como lei 03/06, que proíbe o culto não-muçulmano por igrejas não registradas.

Leia mais

Coreia do Norte obriga crianças a verem execução de seus familiares cristãos

Uma organização entrevistou mais de 610 refugiados norte-coreanos durante quatro anos, que relataram fatos assustadores da ditadura comunista.

Os campos de trabalho forçado existentes na Coreia do Norte fazem parte da dura realidade enfrentada pelos cristãos na nação dominada pela ditadura comunista da dinastia Kim. Além disso, uma das questões relacionadas a este tema é referente às execuções - em grande parte de cristãos - realizadas sob ordem do regime ditatorial.

De acordo com a rede de notícias BBC, as sentenças não ocorriam apenas dentro dos campos trabalhos forçados ou prisões, mas também fora deles.

A organização sul-coreana de defesa dos direitos humanos, 'Transitional Justice Working Group' afirma ter identificado 318 lugares que foram usados pela ditadura norte-coreana para realizar execuções públicas no país. A informação veio à tona após 610 refugiados que fugiram da Coreia do Norte serem entrevistados durante quatro anos.

Leia mais

China intensifica guerra contra os cristãos, que não param de crescer

À medida que os fiéis crescem em número, Pequim intensifica a repressão que é ampla e profunda.

Em 4 de junho de 1989, os fiéis da China passaram a viver sob uma nova condição, enquanto o governo chinês massacrava milhares de manifestantes pró-democracia na Praça Tiananmen, em Pequim, líderes do Partido Comunista criavam estratégias para aumentar o controle sobre a religião.

Os grupos cristãos foram obrigados a se registrar em associações “patrióticas” do Estado ou a viver sob o risco de punição como “cultos do mal”.

Ansiosa por manter o acesso aos mercados ocidentais, Pequim aplicou seletivamente essas regras nas grandes cidades. A clandestinidade cristã rural suportou o peso do fechamento de igrejas e do aprisionamento em massa de seus membros em campos de trabalho forçado.

Apesar disso, o cristianismo chinês ainda experimentou um crescimento espetacular nos 30 anos seguintes.

Leia mais

Ex-muçulmana é espancada pela própria família após se converter ao cristianismo

Ao saber da conversão da mulher, sua família própria família preparou uma 'armadilha' e a agrediu fisicamente.

Uma jovem ex-muçulmana do Quirguistão está sofrendo as consequências de ter se tornado uma cristã em um país de cultura fortemente islâmica.

Há cerca de dois anos atrás, Amira* começou a trabalhar e morar em uma cidade maior, próxima ao povoado onde nasceu e cresceu. Lá ela acabou conhecendo cristãos, que compartilharam a mensagem do Evangelho e assim, ela acabou se convertendo.

A moça começou a frequentar a igreja e a servir a Deus em sua congregação. Porém, quando seus pais souberam que ela havia se tornado cristã, reagiram com agressividade.

"Você é uma vergonha e uma desgraça para nossa família", eles disseram à moça, enfurecidos por ela ter abandonado o islamismo.

Leia mais

Regime cubano cancela licença de construção de igreja evangélica

A denominação gastou pelo menos US$ 1.500 nos últimos dois anos em sua tentativa de cumprir as exigências do governo.

Líderes batistas em Cuba estão pedindo ao governo que cumpra sua promessa de permitir que eles construam uma nova igreja depois que sua permissão de construção foi arbitrariamente cancelada pelo Escritório de Assuntos Religiosos (ORA) do Partido Comunista Cubano.

A direção da Convenção Batista do Leste foi informada em abril de 2019 de que a permissão foi cancelada e que seu pedido de construção de uma nova igreja seria submetido ao Conselho de Ministros de Cuba, o mais alto órgão administrativo e executivo do país.

A igreja, uma das maiores da cidade, realiza trabalhos sociais nas áreas vizinhas e os líderes da igreja acreditam que este trabalho, bem como o crescimento da congregação, são as razões por trás das ações do governo.

Eles estimam que a igreja gastou pelo menos US$ 1.500 nos últimos dois anos em sua tentativa de cumprir as exigências do governo, uma quantia significativa em que o salário médio mensal é de cerca de US$ 20.

Leia mais

Judeus ortodoxos agridem judeus messiânicos por adoração a Jesus, em Jerusalém

Enquanto judeus messiânicos se reuniam em uma congregação cristã, judeus ortodoxos manifestavam do lado de fora.

Dezenas de manifestantes ortodoxos atacaram judeus messiânicos, que reconhecem Jesus como Messias, enquanto se dirigiam a uma reunião de adoração em Jerusalém. É o mais recente caso de hostilidade de grupos de judeus ortodoxos contra a comunidade messiânica.

Dentro da congregação King of Kings Community Jerusalem (Rei dos Reis Comunidade Jerusalém), a plateia presenciava canções de adoração hebraicas, escritas por israelenses. Do lado de fora, um protesto iniciado por judeus estava acontecendo.

“Cerca de 30 a 40 religiosos [judeus] se reuniram e começaram a assediar nosso povo enquanto tentavam entrar na congregação — soprando assobios, tentando abafar o som da adoração — até que alertaram o primeiro aceno da equipe da SWAT e da polícia”, disse Chad Holland, pastor sênior da KKCJ, à CBN News.

A Aliança Judaica Messiânica de Israel realizava uma apresentação musical na KKCJ, considerada uma das maiores congregações em Jerusalém para cristãos e judeus messiânicos.

Leia mais

Papa aprova oficialmente mudança na oração do Pai Nosso

A mudança substitui o trecho “não nos deixes cair em tentação” por “não caiamos em tentação”.

O Papa Francisco aprovou oficialmente uma mudança na oração do Pai Nosso, descrita em Mateus 6:13, que substitui o trecho “não nos deixes cair em tentação” por “não caiamos em tentação”.

Segundo informações do site uCatholic, o Vaticano promulgou a mudança no dia 22 de maio, durante a Assembleia Geral da Conferência Episcopal da Itália.

O Papa acredita que a nova versão é melhor porque a primeira tradução implica que Deus leve as pessoas à tentação, uma ação que é contra a sua natureza como um Deus bom e santo.

“Um pai não faz isso, um pai ajuda você a se levantar imediatamente”, disse Francisco sobre o versículo em questão. “É Satanás quem nos leva à tentação, esse é o departamento dele”.

Durante anos, os cristãos lutaram com o significado real por trás de “não nos deixes”. Depois de mais de 16 anos de estudo, alguns pesquisadores bíblicos dizem que uma melhor tradução da escritura seria: “Não nos abandones quando formos tentados”.

Leia mais

Chineses memorizam a Bíblia porque o governo ‘não pode tirar o que está no coração’

O relato foi feito pelo pastor Wayne Cordeiro, que lidera uma igreja no Havaí, após uma experiência com líderes cristãos na China.

Depois de uma viagem à China, o pastor Wayne Cordeiro, da igreja New Hope Christian Fellowship em Honolulu, no Havaí, está incentivando as pessoas a se tornarem mais parecidas com os cristãos chineses.

Em uma pregação, o pastor compartilhou uma experiência que teve na China, onde fez um treinamento para 22 líderes da província de Hunan.

O treinamento aconteceu em um quarto de hotel de 65 metros quadrados, sem sofás ou ar condicionado. “Se formos pegos o que vai acontecer comigo?”, Cordeiro começou perguntando.

“Você será deportado em 24 horas e vamos para a prisão por três anos”, responderam os cristãos chineses.

O pastor prosseguiu perguntando quantos já haviam sido presos. Dos vinte e dois, 18 disseram que tinham sido presos por causa de sua fé.

Em seguida eles começaram o estudo bíblico com base no livro de 2 Pedro. Ele só tinha quinze Bíblias, então sete pessoas ficaram sem.

Leia mais

Terroristas amarram e 'empilham' cristãos para fuzilamento na República Centro-Africana

Este foi o maior massacre no país, desde que o governo e 14 grupos armados assinaram um acordo de paz no início deste ano, em fevereiro.

Uma sequência de ataques terroristas no noroeste da República Centro-Africana (RCA) deixou mais de 50 moradores mortos e muitos outros feridos, sendo a maioria deles, cristãos. O massacre ocorreu em várias aldeias perto da cidade de Paoua, próximo à fronteira com o Chade.

Este foi o maior massacre no país, desde que o governo e 14 grupos armados assinaram um acordo de paz no início deste ano, em fevereiro.

Em toda a África Subsaariana, a igreja está sofrendo grande perseguição. Embora o impacto sobre os cristãos nesses ataques não seja tão divulgado, eles são a maioria no país. De uma população total de 4,7 milhões no país, os que professam sua fé em Jesus representam mais da metade (3,5 milhões).

Atualmente os cristãos estão enfrentando uma pressão crescente por parte dos extremistas muçulmanos no país. A República Centro-Africana ocupa a posição de nº 21 na Lista Mundial de perseguição religiosa atualizada anualmente pela Missão Portas Abertas.

Leia mais

Boko Haram usa carta para forçar cristãos a fugirem no Níger: "Saiam ou serão mortos"

Ameaça chegou por meio de uma mulher cristã sequestrada em uma aldeia local.

Os terroristas do Boko Haram sequestraram uma mulher cristã que depois foi libertada com uma carta para outros cristãos que moram nas proximidades: "Deixem a cidade dentro de três dias ou serão mortos".

Segundo a Portas Abertas dos EUA, a mulher foi levada por terroristas islâmicos da aldeia de Kintchendi, na região de Diffa, no sudeste do Níger, em 7 de junho.

Fontes não identificadas no terreno em Níger disseram à Portas Abertas que os cristãos da região e de outras áreas rurais de Diffa estão sendo instruídos a se mudarem para a cidade capital de Niamey. Várias famílias já teriam fugido da área.
Os militantes do Boko Haram têm como alvo a região, que faz fronteira com a Nigéria e o Chade, desde fevereiro de 2015.

Em julho de 2017, o grupo terrorista sequestrou de 30 a 40 mulheres e crianças e executou outras nove na aldeia de Ngalewa.

Leia mais

Perseguição ajuda a espalhar a Palavra de Deus, dizem missionários no Nepal

Os perseguidores reconhecem o poder de transformação da Bíblia quando impedem que ela seja espalhada, segundo missionários.

A perseguição aos cristãos não está impedindo que missionários continuem atuando no Nepal. De acordo com o presidente da organização Bibles For The World (Bíblias Para o Mundo), John Pudaite, a opressão ajuda a promover o Evangelho.

“Acidentalmente, reconhecendo que essas Bíblias poderiam ser usadas para conversão, as pessoas que tentam esmagar o cristianismo estão reconhecendo o poder da Palavra de Deus. Elas estão dizendo que este livro pode transformar vidas”, disse Pudaite ao site Mission Network News.

De acordo com Pudaite, a Bibles For The World forneceu 2,5 milhões de exemplares do evangelho de João por todo o Nepal desde 2012. “Isso ajudou a espalhar as chamas do crescimento do cristianismo, do Corpo de Cristo, em todo o país”, destaca.

Logo após a Páscoa, em 23 de abril, quatro cristãos foram presos e acusados de violar a lei anticonversão, sancionada em 2018 no Nepal. Um dos detidos, que é americano, foi imediatamente deportado.

Leia mais

Terroristas interrompem ensaio de coral em igreja e sequestram 17 cristãos

Entre os cristãos sequestrados na Nigéria, estão o pastor da congregação e sua filha.

No domingo último domingo (19), um pastor, sua filha e outros 15 cristãos teriam sido sequestrados enquanto uma pessoa foi morta, depois que um grupo de terroristas atacou aldeias no problemático estado de Kaduna, na Nigéria.

De acordo com Nnamdi Obasi, do Grupo Internacional de Crise, 11 meninas e seis homens — entre eles, o Rev. Zakariah Ido — foram sequestrados de uma congregação da Igreja 'Winning All', na vila de Dankande, na área do governo local de Birnin Gwari, na madrugada de domingo.

Ele publicou no Twitter que fontes afirmaram que até 20 homens armados foram responsáveis ​​pelo ataque.

O jornal on-line da Nigéria, 'The Cable' informou que os terroristas também atacaram uma aldeia na área do governo local de Igab, em Kaduna.

"Foi por volta de meia-noite e meia. Nós havíamos programado o ensaio do coral na igreja com outras comunidades vizinhas. Normalmente, realizamos o ensaio das 21h a 1h da manhã", contou uma testemunha anônima ao 'The Cable' sobre o ataque à igreja em Dankande.

Leia mais

Justiça decide demitir por "justa causa" enfermeira que deu Bíblia a paciente com câncer

O Tribunal de Apelação decidiu que a demissão da enfermeira britânica Sarah Kuteh, feita em 2016, não foi injusta.

Uma enfermeira foi demitida por “justa causa” de seu cargo no Hospital Darent Valley, na Inglaterra, por oferecer uma Bíblia a um paciente com câncer. A decisão foi publicada pelo Tribunal de Apelação na semana passada.

A enfermeira britânica Sarah Kuteh, 50 anos, foi demitida hospital da cidade de Dartford, a 25 km do centro de Londres, em 2016, por ter conversado com vários pacientes sobre sua fé e oferecer uma Bíblia a um deles.

Em 3 de junho de 2016, um paciente que estava em tratamento contra um câncer se queixou da conduta de Sarah, quando a enfermeira o encorajou a cantar o Salmo 23 junto com ela.

“Ele havia respondido que tinha a ‘mente aberta’ no formulário sobre religião e alegou que a requerente havia lhe dito que a única maneira de chegar a Deus era através de Jesus”, afirma a decisão judicial.

“[Sarah] disse a ele que lhe daria a Bíblia se ele não tivesse uma; apertou sua mão com força e fez uma oração muito intensa e continuou, pedindo que ele cantasse o Salmo 23. Ele ficou tão surpreso que cantou o primeiro verso com ela”, acrescenta o texto.

Leia mais

Famílias cristãs são espancadas por multidão de muçulmanos por ‘blasfêmia’, no Paquistão

Mesquita anunciou pelos alto-falantes que famílias haviam insultado o profeta Maomé.

Uma pequena comunidade cristã paquistanesa de duas famílias foi atacada na semana passada, por uma turba islâmica furiosa, depois de ser acusada de insultar um muçulmano e de cometer blasfêmia.

De acordo com uma instituição que defende os cristãos paquistaneses, sediada na Grã-Bretanha, as famílias, que eram do distrito de Arif Wala Tehsil, na província de Punjab, foram confrontadas por cerca de 40 muçulmanos de uma mesquita local e obrigadas a fugir de suas casas.

A Associação Cristã Paquistanesa Britânica (ACPB), que está ajudando financeiramente as famílias, observou que a mesquita local anunciou em seus alto-falantes que os cristãos haviam insultado o profeta Maomé, provocando a multidão a buscar um confronto violento.

Segundo relatos, os imãs locais pediram que a comunidade muçulmana se unisse e forçasse os cristãos para fora da cidade. Como resultado, cinco homens cristãos foram presos e continuam detidos pela polícia.

Leia mais

Reino Unido tem mais igrejas do que pubs, afirma pesquisa

Enquanto as grandes denominações continuam decair, movimentos pentecostais e missões reversas vêem público crescer.

Uma das marcas do Reino Unido é que em todos os lugares havia um pub, uma igreja e uma loja. Hoje esse perfil mudou, os pubs (abreviação de “casas públicas”) se tornaram ícones, um destino popular para os visitantes experimentarem bebidas, refeições tradicionais deste tipo de comércio e o ambiente cultural. Mas as igrejas, graças a contribuições externas, ultrapassaram a quantidade de pubs.

Na Inglaterra, restaram 39 mil pubs, um quarto a menos que 20 anos atrás. Agora há mais igrejas do que pubs, segundo dados recentes anunciados no mês passado pelo National Churches Trust.

O número de igrejas em geral também está caindo, mas não tão rápido como os pubs. Os cristãos no Reino Unido estão em declínio, como na América e em outras partes do mundo ocidental.

Segundo Peter Brierley, que dirige a Brierley Consultoria, que realiza pesquisa destinada a fortalecer a liderança da igreja no Reino Unido, a secularização total não acontece por pelo menos dois motivos.

Leia mais

Menina cristã é estuprada e forçada a casamento islâmico no Paquistão

No começo de maio, Neha Pervaiz, de 15 anos, conseguiu fugir da casa onde foi forçada a viver com seu 'marido' muçulmano.

Uma adolescente cristã no Paquistão alega ter sido espancada, estuprara, forçada a se converter ao islamismo e a se casar com um muçulmano de 45 anos, enquanto mulheres de minorias religiosas no país de maioria muçulmana continuam a enfrentar extrema perseguição por causa de seu gênero e fé.

Neha Pervaiz, uma jovem de 15 anos que mora no bairro Ittehad Town, em Karachi, disse recentemente ao ucanews.com sobre como foi forçada a um casamento islâmico no mês passado, quando foi à casa de sua tia para ajudar a cuidar de um parente doente.

"Fui levada por minha tia, uma muçulmana convertida, para sua casa em 28 de abril para ajudá-la a cuidar de seu filho doente", disse Pervaiz à ucanews.com, uma agência que cobre exclusivamente notícias católicas na Ásia. "Mas lá me pediram para casar com um muçulmano chamado Imran. Quando recusei, eles me espancaram e ameaçaram matar meu irmão menor, que estava comigo".

Pervaiz alegou que ela foi levada para uma sala, onde foi estuprada por Imran, que estava divorciado.

Leia mais

Perseguição religiosa na Rússia gera 159 processos contra atividades missionárias

Falta de notificação às autoridades sobre atividades religiosas é principal motivo que leva a processos.

A Rússia tem processado indivíduos e instituições religiosas utilizando o argumento da falta de notificação ao governo de suas atividades. Em 2015, os casos aumentaram, com base na lei de restrição da liberdade religiosa, que introduz a exigência de notificação por parte dos grupos sobre suas atividades.

Segundo informações, as notificações atingem grupos ou membros de qualquer grupo religioso de cristãos não-ortodoxos, que representam menos de 5% da população russa, e compreendem uma grande variedade de protestantes, católicos, mórmons e as Testemunhas de Jeová.

Os grupos têm sido alvos e virado réus, caso seja comprovada sua atuação em atividades religiosas sem a devida autorização governamental.

Este tem sido um problema particular para os batistas independentes e para o Conselho de Igrejas Batistas. Os últimos se recusam, em princípio, a buscar qualquer tipo de registro estadual e têm argumentado publicamente contra as restrições impostas.

Leia mais

Turquia proíbe a entrada de pastor e deporta missionários estrangeiros

País acusou e prendeu Andrew Brunson que servia como pastor na igreja em Izmir; Brunson foi libertado recentemente e voltou aos EUA.

Desde fevereiro, pelo menos quatro residentes estrangeiros que trabalhavam com projetos cristãos foram expulsos da Turquia. Alguns nem conseguiram retornar ao país ao ter saído para.

Segundo Middle East Concern, no dia 2 de abril, Mike Platt, que vive no país há 21 anos como pastor voluntário da Igreja Internacional Kadikoy, teve sua entrada recusada ao tetnar entrar na Turquia depois de uma curta viagem.

Platt tentou entrar no país novamente no dia 8 de maio, e depois de ser parado novamente no controle de passaporte, eu fui segurado no aeroporto e deportou na manhã que vem.

Nenhuma explicação foi dada para a proibição de sua entrada.

Em fevereiro, outro voluntário da Igreja Internacional Kadikoy também foi impedido de entrar, “apesar das garantias da imigração para ele e seu advogado de que ele seria readmitido no país", disse a Middle East Concern.

No mesmo mês, David e Pamela Wilson, que serviram na Associação de Informações da Bíblia Sagrada - uma entidade legal que informa e instrui os cidadãos turcos sobre a Bíblia - foram impedidos de entrar e foram detidos no aeroporto antes de serem deportados.

Leia mais

Polícia fecha igrejas na China, mas cristãos não se intimidam: "Nossa fé cresceu"

Cristãos chineses afirmaram que nem mesmo a repressão comunista tem sido suficiente para fazê-los desistirem da vida com Jesus.

Um recente relatório da organização Bitter Winter apontou ações coordenadas da polícia chinesa que levaram ao fechamento de diversas igrejas domésticas na região central da China no mês de março. As justificativas seriam o fato dessas congregações serem "anti-chinesas".

A notícia foi comentada por uma cristã local, que afirmou que boa parte dos cristãos não tem se deixado intimidar pela repressão imposta pelo Partido Comunista.

Bai Yahui* relatou à missão Portas Abertas que após a polícia fechar as igrejas domésticas, os pastores foram alertados a não realizarem mais nenhuma reunião (cultos) e foram colocados em "liberdade condicional", de modo que ainda continuam à disposição da Justiça, recebendo ligações frequentemente, em horários aleatórios, nas quais as autoridades solicitam que eles retornem à delegacia para prestar novos depoimentos.

“Estamos constantemente no limite”, disse ela, “mas nossa fé cresceu e estamos mais determinados do que nunca ao ver os cristãos se manterem fortes e não comprometerem sua fé em Jesus. Nós começamos muitas reuniões menores, e mais e mais irmãos e irmãs estão levantando as mãos para atuar como líderes de igrejas domésticas”.

Leia mais

Meninas cristãs de países pobres são levadas para se casarem à força na China

Desde outubro de 2018, cerca de 750 a mil meninas cristãs foram casadas com homens chineses.

A política do filho único na China comunista, que acarretou predileção das grávidas por meninos, produziu uma demanda cada vez mais crescente por mulheres no país.

Para suprir essa demanda, centenas de meninas cristãs paquistanesas pobres são traficadas para a China onde se casam obrigadas com chineses.

“Os corretores estão procurando agressivamente garotas para homens chineses, às vezes até viajando para fora das igrejas para pedir potenciais noivas”, segundo um relatório da Associated Press (AP).

Eles estão sendo assistidos por ministros cristãos pagos para identificar prováveis ​​candidatos em suas igrejas com promessas de milhares de dólares para os pais (com porcentagens para corretores e pastores) em troca de suas filhas.

“Isso é contrabando humano”, disse Ijaz Augustine, funcionário do governo paquistanês à AP. “A ganância é realmente responsável por esses casamentos ... Eu encontrei algumas dessas meninas e elas são muito pobres.”

Leia mais
Carregar mais